//Rotograma Falado: o melhor copiloto que um motorista pode ter

Rotograma Falado: o melhor copiloto que um motorista pode ter

Rotograma Falado

As orientações e treinamentos dados aos motoristas e o cuidado com a carga não resolvem todos os problemas administrados pela equipe de gerenciamento de riscos da empresa. Assim, o gerente de operações está sempre em busca de novas tecnologias que garantam mais segurança, acelerem a entrega e otimizem o trabalho dos colaboradores.

Uma das novas soluções que se destacam no mercado é o rotograma falado, um aparelho que alerta o motorista, via mensagem de voz, sobre pontos de risco no trajeto. Continue lendo e entenda as muitas vantagens operacionais e competitivas que essa solução pode trazer para a sua empresa de transporte de cargas. Confira!

O que é um rotograma falado

É um dispositivo eletrônico que funciona como um GPS especializado para empresas transportadoras. O aparelho não indica apenas o melhor caminho ou a distância até o ponto de chegada. Ele faz mais que isso. Por exemplo, o rotograma falado é capaz de avisar ao motorista sobre uma curva perigosa e sugerir a velocidade ideal para a realização segura da manobra.

O projeto consiste em mapear as rotas usadas pelas frotas e identificar pontos específicos de atenção que possam eventualmente causar danos ao frete, como curvas acentuadas, áreas com maior taxa de assaltos e trechos de estrada em péssimas condições. Uma vez feita a programação, sempre que um veículo da frota se aproximar dessas indicações, o aparelho irá emitir mensagens de voz gravadas avisando ao motorista sobre a situação.

Por que você deve investir nessa solução de gerenciamento de riscos?

O rotograma tradicional, redigido em papel, ainda é usado por muitas empresas de transporte de cargas como instrumento de gerenciamento de risco por ser uma ferramenta barata e simples para os colaboradores.

Mas há algumas limitações que o rotograma tradicional apresenta em relação ao falado e que tem feito cada vez mais empresas considerem a versão hi-tech do instrumento. Veja as três principais razões para implementar a mudança:

  • Automatização;
  • Praticidade;
  • Prevenção.

Até então, não havia como a empresa indicar aos motoristas os riscos na estrada de maneira precisa. A indicação até poderia ser feita no rotograma em papel, mas não existia garantia de que os colaboradores conferissem a todo o momento o mapa para diminuir os riscos de dano. O rotograma falado automatiza esse processo, pois não precisa ser acionado pela equipe responsável para fazer os alertas. Inclusive, caso a indicação não seja atendida pelo motorista, o aparelho repete o aviso.

Por exemplo: ao se aproximar de uma curva perigosa, o aparelho emite uma mensagem de voz ao motorista: “trecho perigoso a 500 metros, reduza a velocidade para 30 km/h”.

Por último, o rotograma falado facilita ainda mais a identificação dos riscos pelos colaboradores responsáveis pelo transporte de cargas. O motorista não precisa ler o mapa diversas vezes a fim de seguir a melhor rota. A ferramenta dá essa praticidade de informar automaticamente aos colaboradores sempre que estiver próximo a uma indicação de risco.

Prevenção: o maior benefício do rotograma falado

Gerenciamento de riscos é uma área movida por ações voltadas à prevenção. E, como diz o ditado, “prevenir nunca é demais”. Por mais que sua empresa tenha bons bons resultados nas metas de segurança, sempre é possível melhorar. Se o índice de acidentes é de 1%, você precisa pensar maneiras de reduzi-lo em até 0,5%. Além do preço, esse diferencial influencia a decisão do cliente na hora de escolher uma empresa de transporte de cargas.

Então, cada vez que vir um rotograma redigido no porta-luvas do caminhão, lembre-se de fazer as seguintes perguntas:

  • Se você pode garantir que o motorista tenha ciência de todos os riscos na estrada, por que não fazê-lo?
  • Se é possível saber quando a sua equipe segue as suas recomendações ou não, e, em caso negativo, ter a chance de entender as razões desse problema, por que não se prevenir?
  • Se é possível que a sua empresa mostre ao cliente que usa as ferramentas mais modernas de segurança, por que não investir?
  • Se for possível atingir os melhores índices de gerenciamento de riscos do mercado, por que não tentar?

Faça um balanço das respostas. Uma barreira para o investimento em tecnologias de segurança costuma ser o valor de implantação. Caso você veja o rotograma falado como uma ferramenta que pode trazer resultados reais na diminuição do índice de acidentes, roubos e outros prejuízos, faça um teste: implemente o sistema em um veículo de sua frota e observe seu desempenho. Se a resposta for positiva e trouxer retorno, continue o processo de implementação gradativamente.

Se estiver interessado nessa ferramenta, converse com nossos consultores! E não esqueça de deixar o seu comentário caso esteja com alguma dúvida.

fale-conosco-cta-1

By | 2020-04-04T18:14:11+00:00 junho 20th, 2016|Roadvision|0 Comments

About the Author: